Atualizaçons sobre o companheiro anarquista Gabriel Pombo Da Silva

Na passada quinta-feira 11 de Junho a Audiência Provincial, o tribunal que está à base da piramide judiciaria no Estado Espanhol, demonstrou o seu poder inquisitorial recusando a petiçom de nulidade da OEDE (Ordem Europeia de Detençom e Entrega) que enviou ao nosso companheiro outra vez às masmorras do Estado após três anos e médio de liberdade.

Depois num ano e médio de clandestinidade, Gabriel foi detido o passado 25 de Janeiro em território português a raiz da susodita OEDE emitida polo Julgado n° 2 de Girona (em concreto pola juíza Mercedes Alcazár Navarro), com a intençom de que cumprisse outros 16 anos de cárcere computados como pena residua (resposta à denúncia de prevaricaçom contra a juíza por ter agochado a ordem de excarcelaçom inmediata de Gabriel em Junho do 2016, o que atrasou a sua posta em liberdade, essa juíza começou a sua própria vingança!)

Após três meses e médio de prisom preventiva (meses durante os quais foi clara a sumissom por parte de Portugal às pressons do Julgado n° 2 de Girona e descarada a falta de aplicaçom das normas europeias que permitiriam a excarceraçom do nosso companheiro), o 12 de Maio, foi entregado às autoridades espanholas e atopa-se atualmente na prisom de Badajoz (Estremadura).

A petiçom de nulidade da OEDE foi legitimada pola ilegalidade da mesma, emitida em plena violaçom do “princípio de especialidade”: um dos princípios básicos do direito comunitário que estabelece a proibiçom de fazer cumprir umha sentença anterior àquela pola qual esta-se a ser extraditado (em virtude deste princípio Gabriel foi posto em liberdade no 2016 nom tendo que cumprir já ningumha outra sentença anterior). Politicamente significativo é que a Audiência Provincial, que fai dias deu a razom à juíza Navarro, é a mesma que há quatro anos lhe deu a razom ao nosso companheiro confirmando a sua excarceraçom (!!!??!!!).

Enquanto a Gabriel aplicarom-lhe o regime FIES, concretamente FIES 5, criado para presxs com “catacteristicas especiais” (que têm que ver, para citar uns exemplos, com delinquência internacional, violência de género ou com caracter razista ou xenófobo, delitos moi graves que causarom grande alarme social, terrorismo islamista, fanatismo radical afin a ideologia terrorista…!!?!!). Dentro do regime FIES aplicarom-lhe o 2° grau (poderia já aceder a benefícios penitenciários, desfrutar de permissos e inclusive da liberdade condicional), e a intervençom de todas as comunicaçons (cartas abertas, lidas e visitas gravadas).

Desde que se atopa no cárcere de Badajoz, a parte de 5 postalinhas que lhe entregarom aos poucos dias da sua chegada, ao nosso companheiro nom lhe entregarom ningum tipo de correspondência pese às moitas cartas e vários livros que se lhe têm enviado… Nada novo baixo o sol do isolamento e da repressom! Todo isto representa umha contradiçom dirigida a provocar-lhe… a mensagem é: “já nom és o inimigo publico número 1 mas és ainda bastante perigoso, sobretodo a nível ideológico… se te portas bem daremos-te algumhas oportunidades”.

Agora que o “classificarom” e o susodito tribunal emitiu a sua sentença, sabemos que se acabarom os recursos legais para que Gabriel poida voltar a saborear a liberdade em breve; dentro de nom moito tempo será transladado a outro cárcere. O advogado fará todas as apelaçons necessárias até ganhar esta longa batalha.

Gabriel atopa-se bem e está forte coma sempre… manda um grande abraço a todos os indivíduos afins e solidários.

A solidariedade é umha arma… usemo-la… de maneira séria e inteligente!

Liberdade para Gabriel! Companheiro nom estás só!

Todxs livres!

Viva a Anarquia!

Para escrever a Gabriel:

Gabriel Pombo Da Silva
Centro Penitenciario Badajoz
Carretera de Olivenza, Km 7.3
06011 Badajoz
España

Leave a comment