Campaña masiva de chamadas o cárcere de A Lama

Dende Pécoras.info facémonos eco da campaña de protesta contra as restriccións dos dereitos das persoas presas (e dos seus familiares) no cárcere pontevedrés de A Lama. A suspensión dos vises (comunicación directa dxs reclusxs cxs seus achegadxs) dende hai mais de tres meses motiva unha campaña de chamadas masivas prevista para o día 31 do presente mes.

Deixamos aquí o chamamento para esta acción reivindicativa tal e coma nolo fixeron chegar xs seus promotorxs:

A suposta crise sanitária tem servido nos últimos messes para endurecer as condições das pessoas presas, até o ponto de ver os seus direitos recortados dum jeito brutal, a maior parte das vezes sem dar explicações e com critérios totalmente arbitrários. Esta é a situação que se está a viver atualmente no C.P. de A Lama, onde os vises continuam suspendidos depois de três messes, por decisão da direção do cárcere, que é a quem
lhe compete valorar as medidas que adotam. Ao tempo que noutros cárceres, tanto na Galiza como no resto do Estado Espanhol, com um entorno com umas condições similares ou incluso mais graves em termos de incidência do coronavirus, procurarom medidas para fazer possíveis as visitas e o contacto entre familiares e presas (como
períodos de quarentena posteriores os vises), o CP de A Lama pretende que passe o Natal e nos conformemos, como muito, com uma vídeo-chamada de 10 minutos após 3 messes sem poder abraçar aos nossos seres queridos.

Estamos fartas! Familiares, amizades e pessoas solidárias cos abusos que está a sofrer a população reclusa, imos pedir explicações por este desprezo cara os nossos direitos. Queremos saber:
– qual é a gravidade “excecional” da situação epidemiológica que impede que na Lama se realizem vises;
– em que condições estão dispostos a devolver-nos o nosso direito;
– quem o está a valorar e com que critérios
– e porque não se aplicam outras medidas que não suponham uma vulneração tão grave dos direitos das pessoas presas.
Queremos amossar-lhes a nossa indignação porque estamos fartas de que xoguen coa saúde das pessoas presas e coa nossa. Porque a privação do contacto, o isolamento, como se está vendo fora, tem impactos na saúde
mental (aumento dos suicídios e necessidade de medicação).
O dia 31 de dezembro imos quentar-lhes as orelhas, que lhes quede bem claro que não toleramos o seu desprezo!

Chama ao CP A Lama: 986758000
31 de dezembro, de 10:00 a 13:30

Abaixo os muros!

Leave a comment